A Apple renovou a sua linha de notebooks em junho, durante a WWDC 2012, mas o Mac Pro e o iMac ficaram de fora das festividades. Posteriormente, a Apple confirmou que as atualizações para os dois modelos aconteceriam em um momento posterior, e agora, o site Apple Insider encontrou referências de novos modelos de desktops da Apple, com alguns arquivos que descrevem suas configurações.

Quando os arquivos de Boot Camp foram examinados, referências de diversos Mac Pros e iMacs foram encontradas, com específicos números de modelos e indícios que esses novos produtos podem não contar com unidades óticas. Dois modelos encontrados nos arquivos são listados como MP60 (MacPro6,x) e IM130 (iMac13,x), que seriam a sexta geração do Mac Pro, e a décima terceira geração do iMac.

A fonte também usa como referência o e-mail enviado pelo próprio CEO da Apple, Tim Cook, para alguns consumidores, onde ele falava sobre o futuro do Mac Pro, especulando que a Apple poderia remover as unidades óticas do equipamento profissional, para passar a adotar uma nova solução de transmissão de dados, como as portas USB 3.0 ou o Thunderbolt.

O iMac também passaria por uma reformulação. Os documentos revelam que o novo equipamento contaria com um processador Intel Ivy Bridge com 4 GB de RAM. É bom ter uma certa ressalva nesse caso em especial, pois os resultados de benchmarks encontrados nos documentos podem ter sido forjados.

Na opinião do Apple Insider, a remoção do drive ótico no iMac faz mais sentido, pois liberaria espaço no equipamento para a adição de nvoos componentes, ou até mesmo para deixar o design do computador ainda mais fino. De acordo com suas fontes, a Apple estaria trabalhando em dois modelos de iMacs mais finos do que os modelos atuais, deixando sua espessura mais próxima de uma TV de LED atual.

De um modo geral, a exclusão das unidades óticas faz todo o sentido, na minha opinião. A Apple não inclui uma unidade dessas em seus computadores desde a chegada do MacBook Air, e removeu tal unidade da atual versão do MacBook Pro, para tornar o notebook ainda mais fino. Logo, a tendência natural é que os desktops sejam os próximos a perder tal recurso. Além disso, boa parte dos usuários simplesmente não utilizam mais as mídias óticas para armazenamento de dados. Talvez a sua maior utilidade seja mesmo para gravação de arquivos multimídia, para levar as fotos da viagem de férias para aquele parente que ainda não sabe que a sua TV ou DVD player (muito provavelmente) pode reproduzir essas fotos com a ajuda de um pendrive.