Firefox

A Mozilla sege trabalhando duro no Firefox, mostrando suas capacidades e possibilidades para enfrentar um Google Chrome cada vez mais dominante.

Nas versões 55 e 56 do navegador, foi observado uma evolução notável: o Firefox foi capaz de gerenciar mais de 1.600 abas sem maiores danos, se tornando assim mais eficiente no seu desempenho.

O Chrome é conhecido por ser um devorador de recursos. Quanto mais abas abertas e extensões rodando, mais ele consome recursos de hardware do equipamento.

As novas versões do Firefox mudam as coisas. Um dos testes feitos com uma das futuras versões do navegador abriu de uma vez só 1.691 abas em apenas 15 segundos, enquanto que a versão atual (Firefox 54) levou mais de quatro minutos para abrir essa mesma quantidade de abas. O Firefox 51 levou oito minutos para executar a mesma tarefa.

 

 

As melhorias também se observam no gerenciamento de memória. No Firefox 54, isso chegava a mais de 2 GB de RAM. Já no Firefox 55 o consumo era de menos de meio GB de RAM.

 

 

O segredo aqui está no Quantum Flow, que é centrado em melhorar os tempos de resposta do navegador. Entre os “truqes” utilizados pelos desenvolvedores da Mozilla está o custo de ter abas ainda sem abrir, de modo que o consumo entre elas seja praticamente zero.

Provavelmente você nunca vai precisar abrir 1.961 abas no seu navegador, mas os esforços da Mozilla mostram que aqueles que trabalham com muitas abas abertas podem querer trabalhar com o Firefox para se beneficiar dessas vantagens.

Se é que já não está trabalhando com ele.

 

Via TechRadar