ford

 

A Ford apresentou a sua nova geração de carros autônomos, que traz como novidade um design mais discreto e próximo do que vemos nas ruas hoje.

O novo Ford Fusion Hybrid Autônomo também conta com uma nova plataforma que faz com que a informação que o carro recebe seja ais precisa, beneficiando sua operação e processamento de dados.

 

 

Ford se aproxima dos níveis de produção

 

A mudança mais significativa nesse novo Fusion Hybrid está nos sensores LIDAR, que agora só estão em duas unidades de menor tamanho, com design de disco de hóquei. Ou seja, eles já podem estar utilizando a tecnologia da Velodyne, empresa que a Ford investiu US$ 150 milhões.

Além da mudança nos sensores, temos também um novo computador, mais potente, que recebe a informação dos sensores e câmeras com um processamento mais rápido. O novo computador pode processar até 1 TB de dados por hora, incluindo dados de navegação, reconhecimento de objetos, inteligência artificial e machine learning, entre outras tarefas.

A nova plataforma se aproxima dos níveis de produção, para que os primeiros carros comerciais cheguem ao mercado em 2020. Em agosto, a Ford anunciou que seu carro autônomo sem volante ou pedais seria lançado em 2021.

A Ford fabricará 90 unidades desse Fusion Hybrid, que serão testados nas ruas de Arizona, Califórnia e Michigan nos próximos anos. O sistema ainda está no nível 4 do SAE, sendo o nível 5 o status de carro completamente autônomo.

Com isso, a Ford se mantém na briga por um mercado que deve explodir na próxima década. Mais empresas fecham parcerias ou desenvolvimentos próprios: a Waymo, da Google, trabalha com a Chrysler e negocia com a Honda; a General Motors com a Lyft; a Uber e seus sérios problemas que fizeram a empresa abandonar a Califórnia, e BMW e Tesla também apostam nessa tecnologia.