De tempos em tempos, um estudo é feito para medir o impacto das rádio-frequências em nossa saúde, e na maioria dos casos, estes estudos não são conclusivos. Dessa vez, a Organização Mundial de Saúde (OMS) gastou US$ 30 milhões para que 50 cientistas de 13 países fizessem mais uma pesquisa sobre este importante tema.

O certo é que os resultados não podem ser mais decepcionantes “não se demonstrou que existe uma maior incidência de casos de câncer, mas também não mostra o contrário”, afirmou Elisabeth Cardis, do Centro de Investigação Epidemiológica de Barcelona. Mas a coisa não para por aí. Eles estudaram mais de 6000 pessoas com tumores cerebrais e outras que não possuem tumores. E acreditem: as que tinham menos tumores eram as que usavam celulares de forma mais frequente. Contudo, se você ainda é obcecado e cético diante desta informação, você pode analisar quanta radiação o seu aparelho emite, para ficar mais tranquilo… ou enlouquecer de vez.

Fonte