A primeira notícia sobre a Microsoft é: se você tem uma tela de widgets como a que você vê na foto acima, tome muito cuidado. Na verdade, os Widgets para Windows Vista e Windows 7 criam reações variadas entre as pessoas. Algumas não conseguem viver sem os itens de notas rápidas e notificações de previsão do tempo e bolsa de valores. Outros consideram uma quinquilharia adicionada ao Aero.

Mas seja lá qual for o caso, é melhor que você comece a pensar na possibilidade de nem chegar perto deles. Os hackers Mickey Shkatov e Toby Kohlenberg descobriram uma série de falhas no código web dos widgets, que permitem realizar ataques ao computador do usuário, através de widgets maliciosos, ou até mesmo sequestrando os widgets originais.

Para evitar problemas, a Microsoft lançou um aplicativo que desativa temporariamente esses widgets, enquanto busca uma solução que seja do agrado de todos. Se bem que a Microsoft mesma sabe que seria mais feliz se todo mundo migrasse para o Windows 8 de uma vez, que nem widgets possui.

A segunda notícia é mais amena. A Microsoft resolveu incorporar um novo gerenciador de cópias, para evitar que os seus dados se percam em caso de falha de sistema ou erro grave do usuário. O File History para Windows 8 é a nova ferramenta desenvolvida pelo pessoal de Redmond, que vai oferecer uma filosofia de funcionamento parecida com a do Time Machine, criando cópias de segurança automáticas de todos os seus arquivos, identificando só aqueles que foram atualizados, organizando tudo de forma cronológica.

Ele também conta com algumas diferenças da versão análoga presente no OS X: por exemplo, ele não permitirá salvar os aplicativos como no Time Machine, mas vai oferecer um alto nível de personalização em seus parâmetros, de forma que (por exemplo) será possível especificar a frequência das cópias de segurança, escolher as pastas que você quer ignorar, e criar verdadeiras “caixas fortes”, localizadas em uma única unidade, para grupos inteiros de trabalho.

Via Computerworld e Blog Microsoft