mulheres nos games

Um recente estudo da Pew Research Center revelou dados interessantes sobre o tipo de dispositivos que os homens e mulheres norte-americanos compraram e utilizaram nos últimos tempos. Ainda que muitos que os dados sejam óbvios e previsíveis, outros revelam algumas surpresas.

É o caso do segmento dos videogames. Dos 1.900 entrevistados, 40% afirmou ser proprietário de um console. Mas o dado curioso é que 37% dos que responderam eram homens, e 42% eram mulheres. Ou seja, as meninas jogam mais que os meninos nos consoles domésticos.

Em 2010, a mesma pergunta recebeu uma resposta sensivelmente distinta, já que 45% dos que responderam ter algum console eram homens, contra 40% das mulheres. A evolução do número de mulheres gamers cresceu gradualmente, mas alguns analistas alertam que esses dados podem ser enganosos.

mulheres nos games-02

Isso é possível, pois os consoles não são dispositivos pessoais, mas sim familiares: ter um console em casa não quer dizer de forma implícita que essa pessoa o utilize, e que sua esposa ou filhos queiram fazer uso dele. Esse dado, não obstante, se reforça com o fato de que ao menos de acordo com os números de 2012, 15% dos proprietários de uma casa nos EUA eram mulheres que viviam sozinhas, contra 12% dos homens que moravam sozinhos (os casamentos com ou sem filhos ficavam com os 48% restantes).

Dito isso, a pergunta fica sem uma resposta clara, já que é muito difusa. O que é certo é que a situação nos últimos anos mudou muito, e a presença feminina se nota no segmento dos videogames de forma mais viva, e só esperamos que essa tendência efetivamente mude para dar tanta relevância para homens e mulheres, em todos os sentidos.

Na verdade, colocar todos os gamers em um mesmo patamar.

Via The Verge