Poucas coisas nesse mundo podem ser pior para os fãs de gadgets do que descobrir que o produto que você acabou de comprar foi rapidamente substituído por um novo e mais poderoso modelo. E isso, com apenas algumas semanas de diferença. E esse foi o caso de alguns compradores do iPad de terceira geração, que não existe mais no mercado, depois do lançamento de ontem (23) do iPad de quarta geração.

A Apple já previu um pequeno apocalipse criado pelos seus usuários mais fervorosos, e algumas unidades da Apple Store nos Estados Unidos já estão estendendo o período para que os compradores recentes do modelo antigo troquem os tablets pelo modelo novo. A janela tradicional de troca estabelecida pela Apple é de 14 dias, mas algumas unidades das lojas físicas da empresa já estenderam essa janela para, pelo menos, 30 dias.

Essa não é uma regra da Apple. A opção de extensão da janela de troca depende da política da loja procurada. Segundo o site MacRumors, uma das lojas onde essa oferta está estendida, em San Francisco, indicou que “um estoque específico” de tablets iPad estão com esse prazo estendido para troca, e está restrito aos consumidores que compraram o antigo modelo nos últimos 30 dias.

Entretanto, o gerente dessa mesma unidade disse que as trocas dos tablets ainda estão condicionadas à uma análise do produto, e os modelos antigos só serão aceitos se os mesmos não apresentarem marcas profundas de uso ou desgastes. O gerente da loja ainda disse que os compradores ainda podem ligar para outras unidades para saber se as janelas de troca de produtos foram alteradas.

Essa é uma notícia que ameniza um pouco a vida daqueles que acabaram de comprar o iPad de terceira geração, e que se decepcionaram ao saber que o produto não só foi atualizado, mas que também não existe mais no mercado. Para aqueles que compraram o iPad 3rd Gen desde o primeiro dia, acreditando que só iria se preocupar com a troca do produto no primeiro trimestre de 2013, a notícia é péssima.

Não há informações se o programa de troca estendida será adotado no Brasil. Particularmente, acredito que isso não vai acontecer.

Via