A Nokia conseguiu vender 100 mil unidades do N900 nos primeiros cinco meses do aparelho no mercado. Pode não parecer muita coisa, mas como este modelo está dirigido para um público muito específico, e não é um produto para as massas, são resultados bastante interessantes. O fabricante, por sua vez, deixa claro que o N900 foi lançado com o objetivo de reforçar o desenvolvimento da comunidade Maemo, algo que parece que está se perdendo, mas positivamente, levando-se em conta o crescente número de fãs do smartphone.

Mas outras mídias estão vendo esta cifra como um retumbante fracasso. A Reuters argumenta que estes dados mostram que os finlandeses não estão prontos para competir com a RIM e a Apple. Neste sentido, vale se compararmos com os quase 9 milhões de iPhones vendidos apenas entre janeiro e março deste ano. Ainda que seja mais justo comparar com as vendas do Nexus One, o smartphone da Nokia ainda perde: o GooglePhone alcançou 135 mil unidades em 74 dias.

Seja como for, a Nokia afirma estar satisfeita, informando que as vendas superaram as expectativas deles. É o típico caso do “copo meio cheio ou meio vazio”.

Fonte