A Nokia anuncia hoje seu novo direcionamento estratégico, que inclui mudanças em seu time de executivos líderes e na estrutura operacional. O objetivo é acelerar os processos da empresa para se adaptar ao ambiente cada vez mais competitivo em que se encontra.

 

Os principais pontos da estratégia são:

 

·         Planos de uma ampla parceria estratégica com a Microsoft para desenvolver um novo ecossistema móvel, no qual o Windows Phone torna-se a plataforma prioritária para os smartphones da Nokia;

·         Uma nova abordagem para crescer, em volume e valores, e conectar o próximo bilhão de pessoas à internet em mercados emergentes;

·         Inventimentos focados em tecnologias disruptivas de próxima geração;

·         Um novo time de liderança e uma estrutura organizacional renovada com foco claro em velocidade, resultados e responsabilidade.

“A Nokia está em uma situação crítica, na qual mudanças significativas são necessárias e inevitáveis para a continuidade de nossa jornada”, diz Stephen Elop, presidente e CEO da Nokia. “Hoje, nós estamos acelerando esta mudança com um novo caminho, que visa à recuperação da liderança no mercado de smartphones, o reforço de nossa plataforma de aparelhos móveis e a condução de nossos investimentos futuros.”

 

O primeiro passo é uma parceria estratégica com a Microsoft, para a criação de um ecossistema móvel global baseado em ativos altamente complementares. O ecossistema Nokia-Microsoft pretende oferecer produtos diferenciados e inovadores e ter um enorme diferencial em relação aos concorrentes em termos de escala, variedade de produtos, alcance geográfico e identidade de marca.  Com o Windows Phone como sua principal plataforma para smartphones, a Nokia irá ajudar a desenvolver o futuro do sistema operacional ao oferecer sua experiência em otimização de hardware, personalização de software, suporte a diferentes idiomas e escala. A Nokia e a Microsoft combinarão também seus ativos de serviços para impulsionar a inovação. Por exemplo, o Nokia Mapas estará no coração de ativos da Microsoft, como o Bing e o AdCenter, ao mesmo tempo em que a loja de aplicativos da Nokia será integrada ao Microsoft Marketplace. Pelo acordo proposto, a Microsoft fornecerá as ferramentas de desenvolvimento, tornando mais fácil para os desenvolvedores atingir a escala global da Nokia.

 

Ao mesmo tempo em que o Windows Phone torna-se a plataforma principal para os smartphones da Nokia, o Symbian transforma-se em uma plataforma franqueável, o que dá aos investimentos já realizados um valor adicional. Essa estratégia reconhece a oportunidade de reter e realizar a transição da base instalada de 200 milhões de usuários desse sistema operacional. A Nokia espera, ainda, vender cerca de 150 milhões de aparelhos Symbian ao longo dos próximos anos.

 

Também sob a nova estratégia, o MeeGo torna-se um projeto de sistema operacional móvel aberto. O MeeGo terá como foco a exploração do mercado no longo prazo, como aparelhos, plataformas e experiência do usuário inovadores. A Nokia ainda pretende lançar um produto baseado em MeeGo até o fim deste ano.

Nos celulares básicos, a Nokia usará uma estratégia renovada para ampliar sua força e capacidade de inovação nos mercados emergentes, para, assim, conectar o próximo bilhão de pessoas à sua primeira experiência de internet.

 

 

 

Time de comando e estrutura operacional

Esta nova estratégia é suportada por mudanças significativas na liderança, estrutura operacional e abordagem de mercado da Nokia. A partir de hoje, a empresa tem um novo time de executivos no comando, com o comprometimento, as competências e o pensamento inovador necessários no ambiente competitivo atual.

 

O Nokia Leadership Team, conhecido anteriormente como Group Executive Board, será formado pelos seguintes membros: Stephen Elop, Esko Aho, Juha Akras, Jerri DeVard, Colin Giles, Rich Green, Jo Harlow, Timo Ihamuotila, Mary McDowell, Kai Oistamo, Tero Ojanpera, Louise Pentland e Niklas Savander.

 

Alberto Torres deixou a equipe em 10 de fevereiro para se dedicar a outros projetos fora da empresa.

 

A governança corporativa, renovada, irá agilizar a tomada de decisões e melhorar o tempo de lançamento dos produtos, sempre com foco em resultados, velocidade e responsabilidade. A nova estratégia deverá ter um forte impacto, tanto em termos de operações quanto no quadro de funcionários.

 

Nova estrutura

A partir de 1 de abril, a Nokia terá uma nova estrutura organizacional, com duas unidades de negócios: Smart Devices e Mobile Phones. Elas irão focar nas duas principais áreas de negócios da Nokia: smartphones de ponta e aparelhos móveis para os mercados de massa. Cada unidade terá responsabilidades financeiras e operacionais sobre toda a experiencia do consumidor, incluindo desenvolvimento de produto, gestão e marketing.

 

Smart Devices será responsável por construir a liderança da Nokia no mercado de smartphones e será comandada por Jo Harlow. As subunidades abaixo estão sob essa área:

·         Smartphones Symbian

·         Produtos MeeGo

·         Operações de negócios estratégicas 

Para suportar os planos da nova parceria com a Microsoft, a divisão de Smart Devices será responsável por criar o portfólio de produtos Windows Phone.

 

Mobile Phones será a área responsável pela estratégia de “conectar o próximo bilhão”. Esta divisão irá focar em inovações para levar internet e aplicativos aos mercados emergentes, a valores acessíveis. A unidade de Mobile Phones será liderada por Mary McDowell.

 

Markets terá a função de vender os produtos, executar estratégias de marketing e comunicação eficientes, criar ecossistemas locais competitivos, gerenciar fornecedores, atendimento ao cliente, fabricação, TI e logística para todos os produtos da Nokia. Estará sob o comando de Niklas Savander.

 

Services and Developer Experience será a área responsável pelo portfolio global de serviços da Nokia, com a meta de desenvolver ofertas, construir relações com desenvolvedores e integração com parceiros. Será liderada temporariamente por Tero Ojanpera.

 

NAVTEQ, parte dos negócios de localização e publicidade da Nokia, será comandada por Larry Kaplan, e continuará como uma entidade independente.

 

The CTO Office será responsável pela estratégia de tecnologia e atividades tecnológicas de longo prazo, incluindo o Nokia Research Center. Seu líder será Rich Green.

 

Design, dedicado à criação do desenho dos produtos e da interface de usuário dos produtos Nokia, será liderada por Marko Ahtisaari.

 

The CFO Office cuidará das atividades financeiras e será comandada por Timo Ihamuotila.

 

Corporate Development terá a função de impulsionar a implementação da estratégia de ecossistemas da Nokia e realizará parcerias estratégicas. Ficará sob o comando de Kai Oistamo.

 

Corporate Relations & Responsibility, responsável pelas áreas de relações com o governo, sustentabilidade e responsabilidade social, será liderada por Esko Aho.

 

Human Resources estará sob a liderança de Juha Akras.

 

Legal and Intellectual Property ficará a cargo de Louise Pentland.

 

Nokia Siemens Networks continuará no Nokia Group como uma entidade independente.

 

via assessoria de imprensa