Nintendo Switch

A falta de unidades do Nintendo Switch no mercado coloca em risco a recuperação da Nintendo, as previsões de vendas e, talvez, pode resultar em prejuízos irrecuperáveis se os gamers apostarem em outras plataformas.

A produção e distribuição do Nintendo Switch precisa melhorar e muito. Depois do fiasco o Wii U, era de se esperar um console que repetisse o sucesso do Wii, e o Switch ao menos consegue competir com o PS4 e Xbox One em popularidade.

O que não se esperava era a incapacidade da Nintendo em satisfazer a demanda. No lançamento, isso realmente pode acontecer. Mas o Switch tem alguns meses de mercado, e mesmo com as notícias que indicam o atraso no fornecimento de componentes e o aumento de preços das memórias e condensadores, a Nintendo deveria prever que seu novo console seria muito procurado.

Das 1.5 milhão de unidades vendidas na primeira semana de lançamento, 500 mil correspondem ao mercado japonês. O mês de abril encerrou com a metade das unidades vendidas, e em maio e junho as vendas ficaram em apenas 129 mil unidades.

As vendas no Japão mostraram recuperação em julho (294 mil unidades) de acordo com o aumento do inventário. Mas não é algo razoável ver 2.000 japoneses brigando em Tóquio para comprar 200 unidades do console.

Nos Estados Unidos, mais do mesmo. As grandes redes varejistas não contam com inventário suficiente, e as unidades se esgotam rapidamente. No Reino Unido, levam mais de 15 dias para entregar o produto.

A Nintendo garante que “está fazendo todo o possível para que todos comprem o Nintendo Switch”, e prometem aumentar a produção.

 

Via Fudzilla