microsoft-mobile-launch

A partir de hoje (25), Microsoft e Nokia passam a ser uma só, com a concretização da compra da divisão de mobilidade dos finlandeses concluída. Oito meses depois do negócio ser anunciado, hoje é o dia da marca Nokia efetivamente desaparecer, e assim nascer a Microsoft Mobile, que será uma subsidiária da Microsoft. Ou seja, termina uma era, e começa outra, no mesmo dia.

A Microsoft escolheu a imagem acima para ilustrar o fim oficial das operações. Stephen Elop, ex-CEO da Nokia, mostrando um Lumia para Satya Nadella, CEO da Microsoft, com montanhas nevadas ao fundo (que seriam da Finlândia?). Tudo muito bucólico.

De fato, essa compra não foi um processo tranquilo: milhares de demissões aconteceram na Nokia, uma forte reestruturação da empresa foi feita para que ela fosse incorporada pela Microsoft, e o desaparecimento completo da empresa tal e como a conhecemos. Com a aprovação da operação por parte dos acionistas e reguladores, estamos agora diante de um caminho sem volta.

E agora?

microsoft-mobile-launch2

A Microsoft Mobile será uma unidade da gigante de Redmond, que vai desenvolver, fabricar e distribuir smartphones das linhas Lumia, Asha e Nokia X. O nome interno será Microsoft Mobile, mas ainda resta saber o que vai acontecer exatamente com a marca “Nokia” do ponto de vista comercial. E ainda não há uma decisão sobre o assunto.

No dia de hoje, a Nokia custou para a Microsoft um total de US$ 7.2 bilhões, valor pago pela divisão mobile da empresa (incluindo suas patentes). É bem menos que os US$ 8.5 bilhões pagos pelo Skype. Vendo por esse ponto de vista, a aquisição pode ser uma das mais importantes da história da empresa.

Agora, começa uma nova etapa onde o Windows Phone terá que se estabelecer de forma definitiva como a terceira alternativa no mercado dos sistemas operacionais móveis. Ele já é uma alternativa sólida em boa parte da América Latina, mas falta marcar a sua posição na Europa e nos Estados Unidos. E para conseguir isso, os smartphones Lumia da Microsoft Mobile terão que impressionar. Por conta própria.

Via Nokia e Microsoft