google-glass

Até agora, para poder ter um Google Glass, era preciso fazer parte de um interminável programa de desenvolvedores, e desembolsar US$ 1.500 para adquirir um desses óculos futuristas. Mas tudo isso vai acabar no próximo dia 19 de janeiro.

Segundo a Fortune, a Google dará por finalizado o seu experimento, e não fará novas unidades dos óculos. Para ninguém. O motivo é o início do desenvolvimento do dispositivo final, confirmando assim que a versão Explorer não era nada além que uma versão de testes, para que se pudesse iniciar a trabalhar no produto e no seu ecossistema.

O que mais chama a atenção nesse caso é que a pessoa que vai comandar essa nova etapa do Google Glass será Tony Fadell, co-fundador da Nest, empresa conhecida pelo seu famoso termostato, e que foi comprada pela Google por US$ 3 bilhões no ano passado.

Provavelmente Tony seja a pessoa mais adequada, já que foi da sua empresa que saiu produtos realmente inovadores, podendo assim tirar o melhor proveito para o futuro Glass. Ainda mais que essa primeira versão foi se definhando aos poucos, até chegar em um ponto que a privacidade (ou falta dela) acabou afetando o sucesso do produto.

É uma mudança muito importante para o Glass e para outros projetos que a Google está dando uma maior atenção, como por exemplo, o Project Ara.

Via Fortune