gps no futebol - Não é o VAR a tecnologia que está revolucionando o futebol. É o GPS!

O GPS está mudando o futebol para sempre. Tudo porque alguns jogadores estão usando coletes negros com GPS integrado por baixo de seus uniformes. A Seleção Brasileira é uma das que vai utilizar essa tecnologia ao longo do mundial da Rússia.

Enquanto todo mundo falava do VAR que finalmente foi aprovado pela FIFA, a verdadeira revolução tecnológica é mais silenciosa do que pensamos. O uso de wearables com GPS nos esportes cresceu de forma exponencial nos últimos 20 anos, e a tecnologia da empresa australiana Catapult Sports, criada em 2000, hoje é utilizada por 100 equipes de futebol em todo o mundo, 19 times de futebol americano e 18 franquias da NBA nos EUA.

Antes, tal tecnologia era utilizada apenas para medir o desempenho e comportamento dos jogadores nos treinos. Porém, em 2015, a IFAB aprovou o seu uso em jogos, e a final do mundial de futebol feminino foi a primeira grande partida internacional onde os dispositivos foram utilizados.

 

 

Alguns desses dispositivos também contam com acelerômetro, o que combinado com o GPS ajuda a saber quantas acelerações o atleta realiza durante os jogos, as suas mudanças de direção, distância total percorrida e os impactos recebidos durante as partidas. Os dados podem ser trabalhados com outras variantes, como a frequência cardíaca, por exemplo.

São dados muito similares a aqueles que os videogames de futebol apresentam, mas com dados da vida real. Assim, os treinadores ficam sabendo sobre a fadiga dos jogadores e seu desempenho, decidindo sobre alterações táticas e técnicas durante os jogos, baseando-se nessas informações.

Alguns desses dispositivos são exclusivos para os treinadores, com informações de todo o time e sua carga de trabalho. Também há dados detalhados de cada jogador, que podem ser consultados pontualmente. Aqui, é possível ver o desempenho de cada um, e comparar cada jogador para saber quem rende mais ou menos.

Tudo isso ajuda a otimizar os treinamentos, ajudando a calcular melhor as mudanças no elenco e na tática do time, além de permitir compartilhar instruções mais detalhadas para os jogadores.

O GPS também ajuda a prevenir lesões. Sabendo quais jogadores estão mais cansados, os treinadores podem ajustar o seu treinamento para reduzir e tentar eliminar as possibilidades de lesões.

 

 

Ou seja, pode até ser que o VAR ajude os árbitros a saber se foi ou não gol ou quem cometeu a falta em um lance. Mas é o GPS que está levantando uma grande quantidade de dados sobre os jogadores, mudando as táticas de jogo e determinando o resultado final de uma partida.