A CMT (Comissão de Mercado das Telecomunicações, ou o equivalente a Anatel por aqui) aprovou hoje na Espanha um projeto que estabelecem as condições que devem cumprir as administrações públicas quando oferecem o WiFi público. Para não ter problemas com o mercado a tual, as redes sem fios livres, em espaços abertos, deverão estabelecer um limite de velocidade por usuário de 256 Kbps, e que a cobertura da rede exclua os edifícios de uso residencial. Além disso, as administrações públicas podem prestar, por tempo indeterminado ou de maneira gratuita para o usuário, serviços de acesso à internet limitado a suas páginas web, assim como o serviço geral de acesso a internet em bibliotecas. Já é uma bela melhoria, em relação ao Brasil.

Fonte