Muito tempo passou, e pouco se falou sobre uma das mais importantes falhas de segurança que uma plataforma enfrentou em anos: o ataque à PlayStation Network que a Sony sofreu em 2011. O pessoal do LulzSec e alguns ex-membros do Anonymous tocaram o terror para a fabricante japonesa, obtendo uma enorme quantidade de dados confidenciais, que vão de nomes reais, senhas e datas de nascimento, e em alguns casos (para deixar a coisa ainda pior), números de cartão de crédito.

A Sony e suas plataformas de entretenimento foram muito criticadas, pois muitos acreditam que a empresa não colocou dinheiro suficiente na sua plataforma de segurança computacional. E, convenhamos: dinheiro é o que não falta para a Sony. 77 milhões de contas de usuários foram comprometidas durante o ataque à PSN, das quais uma pequena porcentagem teve os seus dados bancários expostos.

Com passados quase dois anos do incidente, ele finalmente teve suas consequências legais. Um tribunal do Reino Unido multou a Sony em 250 mil libras (ou 300 mil euros) por causa do ataque, suas consequências e as dores de cabeça ocasionadas aos usuários. Segundo o ICO (ou o Escritório Comissionado de Informação), essa situação poderia ser evitada. Palavras do comissário David Smith em entrevista:

“Não resta dúvidas que a Sony melhorou muito em termos de segurança diante desses percalços, mas isso não é desculpa para eles terem falhado em 2011. Este é o seu negócio, e por causa disso, eles deveriam conhecê-lo melhor. Isso poderia ser evitado. Se trata de informações pessoais e confidenciais de milhões de pessoas, e por ser um dos casos mais sérios que nos foram apresentados, simplesmente não poderíamos passar por cima disso.”

A multa de 250 mil  libras é muito alta, e é lógico que a Sony vai apelar da decisão para diminuir esse montante, levando em conta que eles foram vítimas de um ataque criminoso, algo que o ICO reconhece. Por enquanto, os japoneses garantem ter aprendido a lição com o ataque, e por isso estão constantemente revisando as possíveis novas ameaças e todas as suas medidas de segurança, algo que os usuários do PlayStation 3 podem constatar facilmente, com rotinas de manutenção da PSN a cada 4-8 semanas, onde a PSN fica inacessível por várias horas.