A Fundação Mozilla, em parceria com a Telefônica Vivo, apresentou na Campus Party Brasil 2013 os primeiros protótipos dos smartphones com o sistema operacional Firefox OS, e promete que os produtos terão preços acessíveis, a partir de US$ 100, inclusive no Brasil. A única coisa incerta é a data de lançamento desses produtos.

Quem fez o anúncio foi Fábio Magnoni, em palestra para desenvolvedores na Campus Party. O preço acessível é um dos fatores de aposta da Mozilla para a popularização do sistema operacional móvel e dos seus dispositivos. O Brasil vai ser um dos primeiros países a receber os modelos finais de telefones com o sistema, mas sempre fica a pergunta: sem incentivos fiscais (já que os smartphones não devem ser fabricados no Brasil), como eles vão conseguir oferecer preços realmente competitivos no mercado brasileiro? É uma equação difícil de ser fechada, mas que vai ficar por conta do pessoal da Mozilla resolver.

Detalhes sobre o Firefox OS foram revelados durante a palestra. Por exemplo, os aplicativos desenvolvidos para o sistema poderão rodar em outras versões do Firefox, incluindo o navegador para desktop e Android. Todo o sistema foi desenvolvido em javascript, HTML5 e CSS, e recursos como realização de chamadas, NFC e Bluetooth foram desenvolvidos em javascript.

O Firefox OS é totalmente customizável, permitindo ao usuário a modificação da interface (desde que o mesmo tenha o mínimo de conhecimento na área de programação), e promete ser mais aberto que o Android. E, por consequência, corre o risco de ser mais vulnerável. Mesmo porque tudo indica que não terá nenhum controle sobre o conteúdo que será enviado para a loja de aplicativos do Firefox OS, a Firefox Marketplace. Vamos esperar que a Mozilla pense melhor nesse aspecto. Caso contrário, o Firefox OS já começa com um grande calcanhar de Aquiles.

As atualizações vão seguir o mesmo ciclo do Firefox para desktops, ou seja, uma nova versão a cada seis semanas. A Mozilla também promete que os pacotes de atualização serão pequenos (no máximo, 40 MB). Para o smartphone de US$ 100, as configurações de hardware pensadas são próximas ao Nexus S, e um modelo de US$ 200 com processador de 1.4 GHz e 1 GB de RAM foi citado na palestra.

Com informações do Gizmodo