Estivemos presentes no evento de lançamento do portfólio de produtos da Mororola Mobility no Brasil para o terceiro trimestre de 2011. Foram três lançamentos Android, e ao longo do dia, vamos apresentar detalhes desses novos modelos. Começamos com o lançamento mais importante do dia de ontem (16/08), o Motorola Milestone 3.

O modelo chega com a proposta de ser um Android potente, prático e mais próximo aos usuários casuais e corporativos. Então, vamos aos detalhes.

O modelo é o mais fino da família Milestone, e isso não se discute. Ele tem um agarre mais confortável, e tem uma espessura mais aceitável para ser levado no bolso da calça sem chamar a atenção de olhares mais atentos. Aqui, vemos um esforço da Motorola em tornar o Milestone 3 ainda mais elegante, algo que eles já buscaram fazer no Milestone 2.

Com isso, o aparelho tem um agarre melhor, mais confortável. O Milestone 3 ficou melhor para ser utilizado com apenas uma mão (interagindo na tela de toque com o polegar). É uma vantagem para quem tem mãos pequenas, abrindo a possibilidade das mulheres cogitarem a aquisição do modelo, mesmo que ele seja bem maior que os aparelhos que normalmente chamam a atenção das garotas geeks.

Outro detalhe a ser destacado no Milestone 3 é a presença do seu par de portas de dados. A mini-USB mais uma vez aparece ao lado da mini-HDMI, indicando que o telefone pode, no futuro, ser compatível com um dock multimídia, tal como é no Atrix. Esperamos que, no futuro, esse dock multimídia apareça por aqui. Porém, é possível que o usuário reproduza imagens multimídia em telas de TV, com o simples conectar da porta mini-HDMI, sem maiores dificuldades, utilizando o efeito espelho do aparelho, que reproduz o conteúdo da tela do aparelho na TV.

A câmera parece ser promissora. Um dos colegas blogueiros presentes resolveu tirar algumas fotos com o Milestone 3, e os resultados foram bem interessantes. É claro que devemos levar em consideração que ninguém transferiu as fotos para um notebook, e não pudemos conferir o resultado final dessas fotos. Mas a qualidade é mais que suficiente para você compartilhar essas fotos nas redes sociais sem passar vergonha.

Particularmente, gostei do teclado do Milestone 3. Ele é bem achatado, como se fossem pequenas placas no formato do teclado. Por incrível que pareça, mesmo com teclas relativamente pequenas, a área de contato de cada tecla é maior, tornando a digitação mais precisa e prazerosa. O único ponto que ainda me incomoda é a largura do aparelho na orientação horizontal. Para mim, isso me causa incômodo na hora de digitar, me afastando do aparelho para produção de textos mais longos.

Acima, visão geral da lateral do Milestone 3 com o teclado QWERTY slide aberto.

A Motorola resolveu reformular o Motoblur, com o objetivo de torná-lo mais simples. Isso foi feito, em partes. Os widgets estão mais quadrados e alinhados na tela, e os ícones podem se destacar, dependendo da função escolhida, ou da tela apresentada. Porém, a interface pode ser um pouco confusa para os usuários que já estão acostumados ao sistema de ícones. Porém, tudo pode ser personalizado no aparelho, deixando assim o smartphone com a cara e o gosto do usuário.

A combinação do Android 2.3 (Gingerbread) com um processador de núcleo duplo tornam a navegação do sistema muito prazerosa. As páginas de widgets se alternam com facilidade e fluidez, e os aplicativos executados não contam com travamentos e atrasos. Esperamos que o desempenho seja o mesmo quando o aparelho atingir o limite de aplicativos instalados, ou com diversos aplicativos abertos. Ficamos devendo esse teste.

Uma das alterações interessantes na interface do Milestone 3 é esse recurso que permite que o usuário adicione os 20 contatos mais importantes da sua lista, visualizando os contatos em formato agrupado, podendo interagir com eles das formas mais diversas.

E a minha primeira impressão foi: que o Milestone 3 amadureceu. Se tornou sim um smartphone melhor. Não sei se justifica a troca para aqueles que já contam com um modelo anterior do Milestone (talvez pela versão do Android? Nem tanto…). Mas, para aqueles que sempre sonharam com o aparelho e ainda não comprou, esse pode ser o modelo que justifique o investimento.