650_1000_motorola

Está provada que a compra da Motorola pela Lenovo foi um excelente negócio, já que as vendas da primeira ajudou a segunda a se posicionar na terceira posição no ranking global de vendas, com as suas 10 milhões de unidades vendidas. É um aumento de 118% em relação ao mesmo período do ano passado.

Seja pelo reconhecimento do bom trabalho da Google, ou porque soube fazer bem o trabalho de marketing, a Lenovo deu para a Motorola um futuro promissor, com a previsão de fazer dessa empresa algo rentável no final de 2015. Para isso, eles precisam crescer em todo o planeta, voltar aos mercados onde eles antes estavam, e se tornar cada vez mais forte onde estão crescendo. O primeiro e importante passo foi dado, fazendo a Motorola voltar para a China, com os modelos Moto G, Moto X e Moto X Pro.

Em uma entrevista para a Forbes, Rick Osterloh, COO da Motorola, fala alguns detalhes dessa expansão e crescimento, vislumbrando uma posição relevante no mercado. De fato, ele entende que a Samsung pode ser menos relevante no futuro, como aconteceu com a Nokia e a BlackBerry.

Outro detalhe muito interessante está relacionado ao tipo de produto que eles oferecem, e que continuarão a oferecer. Rick explica que o sucesso está em poder oferece produtos em linhas superiores com preços inferiores.

Palavras de Rick Osterloh:

A cada sete anos, aquele que era considerado o líder do mercado se foi. Vivemos tempos de mudanças, onde os clientes se deram conta que não há mais necessidade em pagar US$ 600 para ter um modelo top de linha.

Enquanto a Motorola esteve sobre o comando da Google, sua atuação foi reduzida para dez mercados. Agora o número está em 50, e a ideia é que ao longo de 2015 eles desembarquem em outros 15 mercados. Também lembram que nesse ano chegarão os substitutos para o Moto G e Moto E, além de um modelo top de linha com chip Snapdragon 810.

Via Forbes