650_1000_soular-mochila_solar

Salima Visram nasceu em um povoado no Quênia, onde 22 mil pessoas vivem em pobreza absoluta, sem acesso à eletricidade (entre outras coisas). Ela hoje é estudante da Universidade McGill (Montreal, Canadá), e quer mudar esse cenário, com a Mochila Soular.

Essa mochila está em fase de financiamento no Indiegogo, e vai permitir que as crianças das zonas rurais sem acesso à eletricidade contem com pequenas fontes de energia. As mochilas contam com painéis solares, que recarregam baterias internas.

Essas baterias podem ser usadas com lâmpadas LED para iluminar lares, além de alimentar dispositivos eletrônicos e computadores. Na verdade, essa fonte de eletricidade é válida para todo e qualquer tipo de uso. Levando em conta que a iluminação em zonas rurais pobres da África se baseiam no uso do querosene (que é algo caro e perigoso), temos aqui uma alternativa muito interessante.

Visram se deu conta que as crianças levavam essa mochila nas costas durante muitas horas ao longo do dia, passando por muitos trechos com exposição ao sol. Com três ou quatro horas nesse cenário, essas baterias podem ser capazes de oferecer eletricidade suficiente para alimentar uma lâmpada LED por oito horas.

Com a campanha de crowdfunding (que já superou a meta inicial), Visram vai fabricar 2 mil mochilas a partir de maio, que serão enviadas para a Escola Primária de Kikambala. O produto será gratuito para a escola, mas mais adiante as mochilas serão cobradas. Ela espera fechar acordos com organizações como a UNICEF para que sua ideia alcance outras escolas ao redor do continente africano.

 

Via The Soular Backpack @ Indiegogo