A Microsoft teve seu pedido de revisão de julgamento na Corte Federal de Apelação dos Estados Unidos negada na quinta-feira (01/04), referente ao caso de violação de direitos de uso de uma função do pacote de produtividade do Microsoft Office 2007. Com isso, só resta a apelação para a Suprema Corte norte-americana, mas, por enquanto, a empresa de Bill Gates vai ter mesmo que remover as funções ilegais do software de edição de texto. Além disso, a corte reforçou a decisão anterior do juri, que envolve o pagamento de multa de US$ 240 milhões à empresa i4i, por danos e infração de patentes. O códigos se referem à criação de documentos customizados em linguagem XML. Segundo a Microsoft, na nova versão do software, o Office 2010, o recurso já não estará mais incluso.

Fonte