xbox-one-controller-top

Muita gente vai ficar se perguntando: “o que há de especial em um controle de videogame?”. Bom, depois desse post, a próxima vez que você olhar (ou usar) um controle do Xbox One, com certeza você vai pensar duas vezes antes de fazer esta pergunta.

De acordo com o pessoal do site VentureBeat, a Microsoft tinha claro que esse periférico era um detalhe considerado crucial do conjunto, e nesse sentido, não era de interesse da empresa mudar em excesso o Xbox 360, que era reconhecido como “o melhor controle do seu segmento” (estou colocando a frase “entre aspas” pois entendo que tal afirmação não é um consenso entre os gamers).

Dito isso, o responsável pelo desenvolvimento de acessórios para games da Microsoft, Zulfi Alam, foi muito persistente, e não compartilhou desse conservadorismo, convencendo os seus chefes que valia a pena pesquisar novas opções. Por conta disso, a Microsoft acabou investindo nada menos que US$ 100 milhões nas pesquisas e desenvolvimento de novas soluções para o controle do Xbox One.

Mas o mais divertido dessa história é que, por conta disso, ficamos sabendo que a Microsoft aproveitou muito bem esse dinheiro, com soluções excelentes que foram descartadas. Por exemplo, uma versão do controle contava com um cartucho que emitia odores. Outra versão contava com uma tela integrada e uma câmera, entre outras soluções.

Essas versões “alternativas” foram descartadas pelo simples fato que eram recursos que devoravam a bateria do acessório, e a equipe de diretores da Microsoft “não apreciava muito” as soluções muito revolucionárias. E agora entendemos de forma mais clara por que o pessoal de Redmond decidiu dedicar nada menos que 7 minutos para explicar as vantagens do atual controle do Xbox One.

Via VentureBeat