software-pirata

Um dos principais objetivos da Microsoft com o Windows 10 e acabar (ou pelo menos reduzir ao máximo) com o problema da pirataria, chegando ao ponto de converter as ativações ilegais dos seus produtos em uma forma de ganhar dinheiro. Há mais de duas décadas que a gigante de Redmond faz frente ao problema, e agora eles miram aqueles que piratearam o Windows 7, com um contra-ataque pesado.

Segundo o site TorrentFreak, a Microsoft está monitorizando os IPs para identificar os dispositivos com cópias piratas do Windows 7. Os usuários normais não precisam se preocupar com isso. Já os IPs que identificarem uma ativação ilegal do sistema poderão sofrer sanções da empresa criadora do Windows.

No processo, a Microsoft reclama os lucros perdidos como consequência dos atos de pirataria dos acusados, além de uma indenização pelo o triplo dos danos causados, além do pagamento dos custos judiciais. Vamos dar tempo ao tempo para observar como essa questão se desenvolve. A Microsoft quer que o Windows 10 esteja presente no maior número de computadores disponíveis, mas também quer cobrar daqueles que durante anos aproveitaram da ‘benevolência’ deles, e registraram de forma irregular o Windows 7.

É mais ou menos um ‘aqui se faz, aqui se paga’ que Satya Nadella quer promover.

Via TorrentFreak