windows-10-mobile-lumia

Satya Nadella, CEO da Microsoft, decidiu esclarecer alguns pontos sobre o Windows 10 Mobile diante da polêmica causada pela ausência do sistema operacional na BUILD 2016.

O ponto mais importante da fala de Nadella é que está confirmado que não há planos específicos para o sistema operacional móvel da empresa. O motivo? Para eles, não é uma plataforma específica.

 

Sem planos para os smartphones na Microsoft

satya-nadella-microsoft

Em entrevista ao Business Insider, Satya Nadella informa que a Microsoft não pensa no mobile como uma plataforma diferente, mas sim que o seu sistema deve se adaptar ao funcionamento em um tamanho de tela diferente, com um modo de uso completamente diferente.

Palavras de Nadella:

“Não penso no Windows para dispositivos móveis de forma diferente como faria com o Windows para o Hololens, ou o Windows para o Xbox. Não temos muitos Windows diferentes. Ele se executa em múltiplos dispositivos, mas em uma única plataforma de desenvolvimento, em uma única loja, com uma única suíte de ferramentas para desenvolvedores. E você adapta o Windows para cada tamanho de tela e para diferentes dispositivos de entrada e saída”.

A Microsoft vê o Windows como uma única plataforma que pode ser executada em qualquer lugar e que, simplesmente, adapta sua interface e funcionamento no dispositivo que está gerenciando. Aqui entram os aplicativos universais que a empresa está potenciando com o seu novo conversor.

O problema acontece quando a própria Microsoft cai em contradição na hora de apresentar novos dispositivos, pois o Continnum, que é a ferramenta para o Windows 10 Mobile que entrega essa experiência única e de multi-dispositivos que Nadella destaca na sua fala, não é algo para todos.

E esta é apenas mais uma das contradições que a Microsoft cai nos últimos anos.

 

A Microsoft discrimina modelos de smartphones

continnum-windows-10-mobile

Para Nadella, o Windows é um único sistema operacional, que se executa se adaptando a múltiplos dispositivos. Mas existe um passo intermediário: o Continuum.

Este foi o cavalo de batalha da Microsoft para apresentar um diferencial diante dos demais sistemas operacionais para smartphones. A possibilidade de conectar o seu telefone com Windows 10 Mobile a um sistema desktop é algo com um enorme potencial.

Porém, o Continuum não está presente em todos os dispositivos com Windows 10 Mobile, ou como Nadella começa a chamá-lo, o Windows 10 para smartphones, ou Windows para dispositivos móveis. Se um smartphone pode receber o Windows 10 mas não é compatível com o Continuum, seja por seu desempenho ou porque os seus componentes são incompatíveis, temos aqui uma fragmentação que a Microsoft nega que existe.

Uma plataforma única, um sistema operacional único, se transforma nesse momento em dois. O daqueles que podem explorar todo o seu potencial via Continnum e outro que está preso no dispositivo, sem poder sair da tela de cinco polegadas ou menos. Justo em um momento em que a Microsoft deveria olhar para smartphone como algo especial, não faz isso.

 

Por outro lado, é multiplataforma

windows-10-mobile-multi-plataforma

Por outro lado, a suposta homogenização do sistema operacional está na expansão de suas ferramentas para outros sistemas. As suítes da Microsoft chegam ao iOS e Android, obtendo bons resultados na experiência de uso. O Cortana já está disponível para alguns sistemas, e a Microsoft confia que esse é um bom cavalo de Troia.

Se em partes a aposta por uma expansão de todas as ferramentas em qualquer sistema operacional é uma boa, por outro lado a Microsoft não se preocupa com o seu próprio ecossistema de smartphones. Como eles querem ter chance contra o duopólio Android/iOS desse jeito?

 

A Microsoft não se explica

Temos aqui uma dualidade no discurso da Microsoft. Ou melhor, entre a dualidade existente entre o seu discurso e suas atitudes. Por um lado, afirmam que trata todos os dispositivos da mesa forma, mas na realidade os smartphones são discriminados. Sem aplicativos, sem novos produtos, nem uma uniformidade de experiência de uso.

Não sabemos qual será o futuro do Windows 10 para os dispositivos móveis, mas sabemos que a Microsoft teve nas mãos a oportunidade perfeita para impulsionar a sua plataforma mobile. Enquanto isso, mais smartphoens Android e iPhones foram anunciados.

Insisto que o que aconteceu na BUILD 2016 é apenas um sinal do que está por vir.

Via Business Insider