Xbox-360-Slim-thumb-450x329.jpg

O Xbox One existe, é oficial, chega ao mercado ainda em 2013, mas isso não quer dizer que o Xbox 360 está morto. Pelo contrário. A Microsoft vai usar a teoria do “dividir para conquistar”, e garante uma vida útil do produto por, pelo menos, mais cinco anos.

Na verdade, a Microsoft espera que, pelo menos, mais 25 milhões de unidades sejam vendidas nesse tempo, se juntando ao grupo de consoles que ultrapassaram a marca de 100 milhões de unidades vendidas. Com isso, o console da Microsoft entra para a história em definitivo, e acho que isso não deve demorar muito para acontecer. Até porque não se passaram 10 anos do seu lançamento, e o Xbox 360 já ultrapassou a marca de mais de 77 milhões de consoles vendidos.

E para motivar essas vendas, novos jogos para o Xbox 360 serão anunciados durante a E3 2013, que acontece no próximo mês de junho. A Microsoft admite que o foco principal de sua apresentação no evento será o Xbox One, porém, algumas surpresas estão reservadas para aquele que é hoje o videogame mais vendido do mundo.

A estratégia da Microsoft está correta. O console ainda tem uma vida útil de mercado considerável, se levarmos em conta o seu potencial técnico e de vendas. Sem falar que com o advento do Kinect, o produto ganhou uma sobrevida, podendo ser explorado para games mais casuais, ou diferentes possibilidades de entretenimento. E é inconcebível a ideia da Microsoft simplesmente dar as costas para esse público todo. A própria ausência de retrocompatibilidade do Xbox One é uma prova clara que a empresa quer mesmo explorar o Xbox 360 até o fim de sua vida útil.

A Electronic Arts foi uma das primeiras produtoras a confirmar que seguirá apostando no Xbox 360, produzindo novos jogos pelos próximos quatro anos, pelo menos. A tendência é que outras produtoras confirmem o seu compromisso com o console durante a E3 2013.

Via EXAME