microsoft-logo-teaser-2016

As empresas de tecnologia não estão cedendo aos desejos das instituições governamentais com facilidade, principalmente nos Estados Unidos. Depois de todos os problemas envolvendo Apple e FBI, agora é a Microsoft que contra-ataca, processando o governo dos Estados Unidos.

A Microsoft entende que os usuários dos seus serviços possuem o direito de saber quando são investigados por uma agência federal. No processo, eles apontam que, ao efetuar esse procedimento sem informar aos usuários, o governo norte-americano viola a Constituição dos Estados Unidos.

A Quarta Emenda da Constituição norte-americana estabelece o direito das pessoas e empresas a saber se o governo está investigando ou reclamando suas posses, e de acordo com a gigante de Redmond, o governo norte-americano também viola a Primeira Emenda, que defende o direito à liberdade de expressão. O processo fa\ especial referência ao armazenamento de dados que os usuários realizem em servidores remotos, e não aos que são armazenados localmente, em seus computadores e smartphones.

Por fim, a Microsoft alerta que a aparição da já veterana Electronic Communications Privacy Act (ECPA), que está vigente há 30 anos, é considerada um perigo para a privacidade. A empresa especifica no processo que as pessoas não cedem seus direitos quando migram seus dados e informações privadas do armazenamento físico para a nuvem, e acreditam que a tendência de usar serviços de cloud foi usada pelas agências de inteligência para investigações secretas, que os usuários deveriam estar informados.

Via Reuters