ballmer microsoft telefonica Microsoft e Telefônica anunciam acordo de vendas de aplicativos, com múltiplas opções de pagamento

Recentemente, a operadora de telefonia móvel espanhola Telefônica (No Brasil, Telefônica/Vivo) anunciou uma parceria com a Microsoft, visando a expansão dos produtos com o sistema operacional Windows Phone. Hoje (05), foi dado mais um passo para a expansão dessa parceria. As duas empresas anunciaram um acordo que permite aos assinantes da operadora comprar aplicativos para o sistema móvel da gigante de Redmond, com pagamento desses apps através da conta telefônica (nas contas em modo pós-pago) ou descontando dos créditos vigentes (nas contas em modo pré-pago).

O modelo de negócio responde pelo nome de “billing direto”, e visa reduzir a eventual burocracia que algumas lojas de aplicativos apresentam, principalmente em relação ao pagamento desses aplicativos através do cartão de crédito. Além disso, oferece ao usuário modos mais seguros e práticos para pagamento desses aplicativos, uma vez que eles sabem que a cobrança dos mesmos será feita em uma modalidade que ele já está familiarizado.

Outro motivo para a adoção do “billing direto” é a possibilidade de ampliar as vendas de aplicativos nos mercados onde o cartão de crédito ainda não é muito popular, ou possui baixa penetração pelas próprias características econômicas. Segundo informou recentemente um diretor da Nokia, a implementação desse formato de pagamento fez com que o volume de downloads de aplicativos pagos da fabricante finlandesa triplicasse.

O anúncio do acordo foi feito na Espanha, mas o serviço deve ser ofertado para os países da América Latina onde a Telefônica oferece os seus serviços.

Porém, o objetivo principal da dupla Microsoft/Telefônica é o mesmo que foi anunciado na semana passada: reduzir o domínio estabelecido entre Android e iOS no mercado mobile. A oferta do billing direto pode ser uma vantagem a médio e longo prazo para os usuários, pela praticidade no formato de pagamento. Pode não significar necessariamente um aumento de participação de mercado do Windows Phone, mas certamente pode ser um atrativo para os novos consumidores de smartphones, que não querem ter nenhum tipo de complicação na hora de comprar os apps de sua preferência.

Via