SecurePad_Image

No último evento do Windows 10, a Microsoft deu detalhes sobre o seu novo sistema de início de seção, um método que utilizaria diferentes opções baseadas nos leitores de digitais, reconhecimento facial e reconhecimento de iris. Hoje, a empresa mostra ao mundo o Windows Hello, um complemento desse sistema.

Com a ajuda de um sensor infra-vermelho, um leitor de digitais e um escâner ocular, o sistema oferece uma maior segurança para o equipamento do usuário. Dessa forma, elimina-se a necessidade de se introduzir uma senha a cada vez que ligarmos o computador, ou quando realizamos mudanças no sistema, do mesmo modo que desbloqueamos um smartphone com a digital.

Windows+Hello+-+PC

Mas… e o que acontece quando não contamos com um equipamento com toda essa parafernália biométrica? Pois bem, aqui entra em ação o Microsoft Passport, uma seção que se encarregará de armazenar a sua senha pessoal, verificando posteriormente quando o sistema exigir, necessitando uma simples inserção de um código PIN.

Todos esses dados (incluindo os capturados por sensores biométricos) serão armazenados de forma codificada de modo local, e nunca nos servidores da Microsoft.

Aqueles que estão testando o beta do Windows 10 não poderão utilizar essas novas funcionalidades, mas a Microsoft promete liberar o recurso em breve. Sobre o hardware necessário, já existem conversas com os principais fabricantes para que sensores para os seus equipamentos sejam adicionados. Hoje, a tecnologia RealSense 3D da Intel seria perfeitamente compatível com o Hello, apesar de não contar com muitos dispositivos com essa tecnologia nas lojas.

Mas ao menos essa é uma boa notícia.

Via Windows