microsoft-compra-linkedin

A Microsoft acaba de anunciar a compra do LinkedIn, por US$ 26.2 bilhões (um pagamento que equivale a um valor de mercado absurdo de US$ 196 por ação).

A operação não afeta a estrutura do LinkedIn, que manterá a sua marca e independência. Jeff Weiner segue como CEO da empresa, reportando-se diretamente à Satya Nadella, que por sua vez entende que a operação vai acelerar o crescimento do serviço, assim como do Office 365 e da Dynamics, potencializando pessoas e organizações.

Weiner completa o comunicado afirmando que “a combinação da nuvem (da Microsoft) e da rede do LinkedIn nos oferece uma oportunidade de mudar a forma em que o mundo funciona”. A empresa é referência no segmento de contatos profissionais, e pode impulsionar o impacto da Microsoft e de suas soluções de software e na nuvem em todos os tipos de empresas.

A Microsoft destaca que o LinkedIn conta hoje com 433 milhões de membros (não revelou quantos são ativos) em todo o planeta, e um crescimento anual de 19%. De acordo com os dados, o serviço recebe 105 milhões de visitantes únicos por mês, e o impacto do smartphone é cada vez maior: 60% dos seus usuários usam o serviço pelo dispositivo móvel (aumento de 49% em relação ao ano anterior).

Esta é a maior operação da história da Microsoft, que nos últimos anos pagou US$ 7.2 bilhões pela Nokia e US$ 2.5 bilhões pela Mojang. A compra do LinkedIn consolida sua posição no segmento empresarial. A gigantesca base de dados do LinkedIn pode ser um pilar importante para o futuro dos serviços profissionais de uma empresa já consolidada nesse segmento.

 

Via Microsoft