A Microsoft aposta na tendência de oferecer videogames como serviço, através da tecnologia de streaming, e anunciou que prepara uma plataforma que roda jogos na nuvem, compatível quase com qualquer dispositivo que pode se conectar à internet.

Não é uma ideia nova, e seu funcionamento é o mesmo para todos: os jogos serão executados em grandes servidores, e transmitidos para as máquinas via streaming. Assim é possível rodar o game independente do nível do equipamento, ou de forma direta, sem usar nenhum equipamento (por exemplo, uma Smart TV).

Além do serviço de streaming, a Microsoft apresentou o FastStart, função que permite rodar os jogos digitais adquiridos sem esperar o download completo do título. Assim, o Xbox saberá quais arquivos são os mais importantes para que o jogo comece a rodar o quanto antes possível, priorizando o download desses arquivos e deixando os demais em seguindo plano. Enquanto isso, o gamer já aproveita as primeiras partidas.

É o início do fim dos consoles de PC gamer?

Muito se fala sobre isso ultimamente. Microsoft e NVIDIA já tem claro que, no lugar de comprar os jogos, vamos alugar os títulos. E profecias como as de Yves Guillemot, CEO da Ubisoft, que anuncia que a próxima será a última geração de consoles físicos são indicadores do que pode estar por vir.

No papel, a tecnologia do streaming pode ser um duro golpe nas vendas de hardware. Porém, tentativas anteriores mostram que, mesmo com os resultados melhores agora, o lag segue presente e é um problema (especialmente no modo multiplayer), e é preciso ter uma conexão de internet que não está ao alcance de todos para uma experiência adequada.

Vamos observar os próximos passos a seguir. Phil Spencer, chefe do Xbox, garante que poderemos rodar os jogos em condições de qualquer videogame disponível na nova plataforma de streaming.