650_1000_xbox-one-juegos

Demorou um pouco, mas a Microsoft decidiu ouvir boa parte dos seus usuários e/ou compradores em potencial, e acabou com a obrigatoriedade de comprar o Xbox One com o sensor Kinect. A partir do dia 9 de junho, será possível adquirir o console sem o seu sensor de movimentos, por um preço sugerido de US$ 399.

Para muito usuários, o Kinect fica relegado a um segundo plano em sua atividade com o console, e essa decisão pode finalmente impulsionar as vendas do produto. Além disso, a Microsoft anunciou outras novidades para os seus usuários, no que se refere aos serviços ofertados na Xbox Live.

O Xbox One sem Kinect estará disponível em 9 de junho em todos os mercados onde o Xbox One já é vendido. Ou seja, clientes brasileiros, se preparem para (quem sabe) pagar menos no Xbox One a partir dessa data.

Vantagens para os assinantes da Xbox Live Gold

650_1000_xbox-one-live

A Games with Gold para Xbox 360 vai completar um ano de vida, e a Microsoft prometeu que o programa de ofertas de jogos também estaria disponível para o Xbox One. Pois bem, isso começa a valer a partir do mês de junho, onde os gamers poderão receber de forma gratuita os títulos Max: The Curse of Broderhood e Halo: Spartan Assault.

Além dessa promoção de jogos gratuitos, será possível obter descontos expressivos em outros jogos. Forza Motorsport 5 e Ryse: Sons of Rome serão dois dos jogos que receberão descontos de entre 50% e 75% (sem especificar concretamente a porcentagem de desconto dos títulos). As promoções seguirão ativas no Xbox 360 para usuários das assinaturas Gold na Xbox Live.

A chegada de mais aplicativos para o Xbox 360 e Xbox One é outro dos esforços da Microsoft nesse segmento. Aplicativos como Machinima, Twitch, Netflix, NFL para Xbox One, MLB.TV ou as ferramentas da Microsoft (Skype, OneDrive, etc) já disponíveis vão reforçar essa oferta, ampliando as possibilidades dos dois consoles.

Que fim terá o Kinect?

650_1000_xbox-one-12-kinect

Phil Spencer, responsável pela divisão do Xbox na Microsoft, explica que “o Kinect se mantém como parte importante de sua visão”, e revela que “80% dos usuários utilizam o Kinect de forma ativa”, com uma média de 120 comandos de voz por mês em cada console.

São dados interessantes, mas não parecem validar o caráter imprescindível que a Microsoft queria dotar o Kinect, e pelo menos nos videogames, não se consumou.

De fato, ainda que seja possível comprar o Xbox One sem o Kinect, os usuários também poderão utilizar o sensor de forma separada no futuro. No próximo trimestre, a Microsoft lançará o sensor Kinect para compra individual.

A estratégia da Microsoft parece ser acertada. Para muita gente, o Kinect não tem todo o valor dado pela Microsoft, e poder adquirir tanto o console sem ele quanto o acessório em separado é oferecer uma liberdade de escolha para o cliente. E o mais importante: coloca o Xbox One em pé de igualdade com o PlayStation 4 em um quesito que importa e muito: o preço.

Veremos como o mercado vai se comportar agora que a Microsoft mais uma vez decidiu ouvir os usuários. Podemos dizer muitas coisas sobre a mudança de filosofia da gigante de Redmond, mas jamais podemos dizer que eles não nos dão ouvidos.

Via news.xbox.com