smartphones

O estudo IDC Brazil Mobile Phone Tracker Q3, realizado pela IDC Brasil, informa que o mercado brasileiro de smartphones registrou queda nas vendas pelo segundo trimestre consecutivo.

Entre os meses de julho e setembro de 2015, foram vendidos aproximadamente 10.753 milhões de smartphones, ou 25,5% a menos na comparação do mesmo período em 2014. Com os feature phones, são 11.710 milhões de unidades comercializadas, ou 35% a menos que no mesmo período do ano passado.

Os números confirmam a dificuldade do mercado, invertendo dados históricos, onde o terceiro trimestre mais fraco em vendas é o primeiro, mas nesse ano deverá ser o de melhor desempenho. Os estoques continuam altos e os fabricantes apostam nas promoções para vender produtos. O mercado como um todo volta ao patamar de 2013, onde o terceiro trimestre daquele ano foi o último a ficar abaixo dos 11 milhões de unidades vendidas.

Nem as datas comemorativas ajudaram. Pela primeira vez, alguns fabricantes não participaram da Black Friday, e a alta do dólar combinada com o baixo desempenho da economia e o aumento do ciclo de vida dos smartphones foram fatores decisivos para a queda nas vendas. O usuário agora leva (em média) 18 meses para trocar de smartphone, postergando ao máximo a compra do próximo modelo.

Para o IDC Brasil, o ano de 2015 deve encerrar com queda de 12.8% nas vendas (47.575 milhões de smartphones comercializados). No totoal, a queda deve ser de 26,8% em relação a 2014. E faz um alerta: assim que a isenção de impostos começar para valer (fim da MP do Bem), o preço final dos smartphones ficará 10% mais caro para o consumidor, e isso vai se refletir diretamente no desempenho de vendas. A projeção de queda para 2016 é de pelo menos 8% (43.8 milhões de smartphones comercializados).