113851936_4GG

A IDC Brasil revelou mais um relatório de dados consolidados do mercado de PCs no Brasil, relativos às vendas do primeiro trimestre de 2013, e os números não são nada animadores. Foram vendidos 3.4 milhões de computadores no país (incluindo desktops, notebooks, netbooks e ultrabooks), o que representa uma queda de 10% em relação ao mesmo período de 2012.

A queda foi mais acentuada na venda de desktops, que sofreu uma retração de 11%, contra 9% dos notebooks. Em números totais, foram 2.2 milhões de unidades destinadas ao mercado doméstico, e 1.1 milhão para o uso corporativo.

O fenômeno, como vocês bem sabem, não é exclusivo do mercado brasileiro. A queda nas vendas de PCs é mundial, com uma média global de 13%, se comparado às vendas do primeiro trimestre de 2012. No Brasil, esse impacto é um pouco menor, principalmente no segmento corporativo (6%), uma vez que pequenas e médias empresas ainda compram computadores para suas atividades.

Porém, para o usuário doméstico, onde na maioria dos casos o foco é o consumo de conteúdo (internet, jogos, vídeos, etc), os tablets são os dispositivos preferidos, pelo preço mais acessível, e pela mobilidade oferecida. Nesse sentido, as vendas para o usuário doméstico despencaram em 12% nos últimos 12 meses.

Além disso, os PCs ficaram mais caros no Brasil. O dólar se valorizou, e com isso, componentes como memória e HD tiveram os seus preços reajustados para cima, o que fez com que os valores dos produtos finais também subissem. Além disso, recursos novos como telas sensíveis ao toque e ultrabooks/notebooks com recursos híbridos e conversíveis fizeram com que a adoção de componentes mais sofisticados (e caros) fossem adotados, aumentando o preço final desses produtos.

Na evolução mensal, o mercado brasileiro de computadores volta a cair em abril, após uma boa recuperação em março, encerrando com um total de 1.1 milhões de unidades comercializadas. Isso representa uma queda de 24% em relação ao mês de março e queda de 14.5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na perspectiva anual, a IDC espera uma queda de 8% no mercado de brasileiro de PCs para o ano de 2013. A indústria de PCs está passando por um momento de ajuste no formato dos equipamentos, durante o ano serão lançados dispositivos híbridos, com tela destacável, conversíveis e tela sensível ao toque, por exemplo.

Estas novas especificações tendem a elevar o preço dos dispositivos e gerar um impacto no volume de vendas. Além destas mudanças, o mercado de tablets e smartphones tem ganhado cada vez mais relevância perante os usuários domésticos e com isso espera-se um impacto no tempo de renovação de compra dos PCs.

Via Assessoria de Imprensa