MeizuMX3

O muito prometido Meizu MX3 foi finalmente apresentado oficialmente, sendo este o substituto do muito elogiado Meizu MX2. O produto possui uma tela de 5.1 polegadas fabricada pela Sharp com a JDI, com uma chamativa resolução de 1800 x 1080 pixels, rating de 15:9 e, mesmo sendo relativamente volumoso (9.1 mm), o seu peso é bem desejável (143 gramas), e suas especificações técnicas realmente enchem os olhos.

O Meizu MX3 é o resultado de mais de 30 protótipos realizados à mão em madeira e em alguns outros feitos através de escaneamento 3D. O resultado de tantas pesquisas entregam um smartphone que, na teoria, é muito potente. O produto recebe um processador Exynos 5 Octa, 2 GB de RAM e gráficos SGX544 MP3. Além disso, recebe uma câmera traseira de 8 megapixels (da terceira geração da Sony, com cristal de safira de segunda geração, f/2.0, estabilizador de imagem sem atrasos e a possibilidade de realizar capturas a 20 FPS), e câmera frontal de 2 megapixels.

Na parte de som, o Meizu MX3 possui um chip Wolfson, que é capaz de alcançar os 113 dB com um nível de distorção de áudio de apenas 0.002%, além de um amplificador dedicado e o codec Dirac HD. Tal como acontece com o Moto X, esse smartphone possui um sistema triplo de microfones, para melhorar a qualidade da voz durante as chamadas.

O novo smartphone trabalha com o padrão de rede WCDMA, de modo que sua conexão 3G funcionará em grande parte dos países do planeta, além de trazer consigo o NFC, Wi-Fi dual-band, Bluetooth 4.0 e GPS. Para aproveitar de todo esse repertório de especificações, sua bateria é de 2.400 mAh, o que segundo o fabricante é mais que suficiente para obter aproximadamente 9 horas de navegação 3G, 10 horas em Wi-Fi ou 7 horas de reprodução de vídeos a 1080p.

O CEO da Meizu aproveitou a oportunidade para informar que o design do Meizu MX3 foi especialmente pensado para que o produto dissipe melhor o calor, deixando separado o calor gerado pela CPU daquele gerado pela tela.

Por último, mas não menos importante, vale a pena mencionar o sistema operacional Flyme 3.0, a última versão da ROM personalizada da empresa, baseada no sistema Android. São 324 mudanças, entre elas a possibilidade de deslizar a tela para baixo para atualizar, mudar a disposição dos seus botões para se adaptar aos hábitos do usuário, ícones mais limpos, uma nova barra de notificações, novas formas de compartilhar conteúdos e até filtros para sua câmera.

Por enquanto, sua disponibilidade e preços em outros mercados além da zona asiática não foram revelados. O Meizu MX3 começa a ser vendido na China a partir da segunda metade desse mês de setembro, com um preço equivalente a US$ 410 para o modelo de 16 GB, e US$ 650, para a versão com 128 GB.

 

Via Daily Mobile