Facebook

 

Mark Zuckerberg anunciou os novos objetivos a longo prazo para o Facebook. A rede social que nasceu como via de comunicação entre os estudantes universitários se tornou ao longo dos anos em uma força global, e essas metas visam se alinhar a esse alcance.

Em comunicado, Zuckerberg olha para o futuro e fala de como a plataforma pretende dar uso à inteligência artificial para detectar conteúdos impróprios, além da necessidade de aplicar regras diferenciadas para diferentes regiões do planeta e culturas, além de novas ferramentas para promover e gerenciar grupos e sub-grupos de usuários.

Lembrando que Zuckerberg pode ter aspirações presidenciais a longo prazo, também temos no discurso dele referências sobre o Facebook promover uma participação mais ativa da sociedade nas eleições (deixando no ar a possibilidade de realizar eleições via votos na rede social), assim como a facilidade de comunicação com os políticos que nos representam (ou ao menso deveriam nos representar).

A ideia pode ser boa, mas o grande problema qui é enfrentar o desinteresse e apatia. Muitas vezes as pessoas só se manifestam quando “é tarde demais”.

Veremos se os novos objetivos conseguem fazer aquilo que a sociedade por si não tem vontade de fazer.

A verdade, por enquanto, é uma só: o Facebook é apenas uma ferramenta, e o que conta de verdade são as pessoas, e aquilo que elas decidem fazer.

 

Via Mark Zuckerberg