650_1000_touchid

Marc Rogers é o especialista em segurança que, no ano passado, dias depois do lançamento do iPhone 5s, conseguiu enganar o sensor TouchID do smartphone, com uma digital falsa fabricada por ele mesmo. E ele acaba de repetir a façanha com o recém lançado iPhone 6.

Nesse caso, Rogers fabricou uma réplica de sua própria digital, com a ajuda de um potente material adesivo usado em algumas colas. Porém, deixando de lado a técnica empregada, o mais interessante é que ele concluiu que a eficiência do TouchID do iPhone 6 é maior que a do sensor presente no iPhone 5s.

No artigo publicado no blog Lookout, Rogers explica que, apesar de ter conseguido enganar os dois sensores, o TouchID presente no iPhone 6 é muito mais difícil de ser burlado. Para conseguir, ele teve que fabricar um molde muito mais preciso e caro, o que indica que a Apple melhorou o sensor presente no novo smartphone.

As melhorias podem atacar duas frentes essenciais. Por um lado, a resolução do sensor do iPhone 6 parece ser maior. Por outro, a superfície explorada é mais ampla. Essas duas melhoras podem explicar essa maior dificuldade, além dos falsos negativos que alguns usuários estão obtendo com os seus dispositivos.

Rogers afirma que não há motivos para grandes preocupações para o fato que qualquer pessoa (na teoria) pode falsificar uma digital para desbloquear o iPhone 6. Ele lembra que chaves e fechaduras tradicionais das residências da maioria das pessoas podem ser destrancadas por um ladrão e, mesmo assim, elas protegem a maioria das pessoas. Ou seja, nada é infalível nessa vida.

Via Lookout