Joaquim-Levy-ministro

Na tentativa desesperada de reajustar os cofres do governo e as contas públicas (também conhecido como ‘consertar os erros cometidos nos anos anteriores’), o governo federal pode tributar o setor de internet. O ministro da Fazenda Joaquim Levy afirmou que já está em discussão um plano para tributação dos serviços online.

A ideia não é tributar serviços que atingem diretamente o consumidor, como a mensalidade do serviço de internet, mas sim os serviços indiretos, como portais de conteúdo, serviços de entretenimento online e hospedagem de sites, algo que pode promover um ‘efeito cascata’ e tornar alguns dos serviços online que você acima um pouco mais caros.

Levy ressalta que vários provedores mantém operações fora do Brasil, e que eles discutem como essas empresas deverão ser tributadas. Uma tática do governo brasileiro tentar cobrar impostos daqueles que buscam soluções que fujam das cobranças abusivas de taxas que não se convertem para lugar nenhum.

Muitas empresas optam por contratar serviços online no exterior por conta dos preços mais competitivos, justamente pelo fato de não existirem os mesmos impostos adotados aqui no Brasil. Sem falar na melhor qualidade do suporte prestado lá fora.

Ainda não está definido quando que a nova tributação entraria em vigor, mas Levy reforça que a medida está em estudo desde o início de 2015, e que pode receber mais ênfase ao longo do segundo semestre.

Nota do editor: para você, que votou nesse governo, da próxima vez, lacra 13 com tanta força para que o próximo não possa votar, beleza?

Via Exame, Tecnoblog