snapchat

O Snapchat, um dos aplicativos mais utilizados do planeta, sofre do mesmo problema do WhatsApp, seu principal concorrente dentro do segmento de mensagens instantâneas: buscar maneiras de rentabilizar em cima dos usuários. A tentativa de obter lucros com a loja de filtros fracassou, a ponto da mesma fechar as suas portas na próxima sexta-feira (8), depois de apenas dois meses de vida.

A loja de filtos foi lançada no meio do mês de novembro de 2015, e parecia uma via clara de rentabilização para o Snapchat. Os usuários contavam com uma série de filtros para as suas fotos, que custavam US$ 0,99. O formato parecia funcionar bem: de acordo com os dados do Business Insider, o Snapchat lucrava US$ 300 mil por mês com a venda das “lenses”, mas mesmo assim, eles vão abrir mão desses lucros, mantendo apenas os filtros patrocinados (gratuitos para o usuário), tal como ofereceu a Beats no passado.

O único motivo para essa decisão do Snapchat é que eles querem se centrar no mercado publicitário. Ao que parecem um dos problemas do aplicativo para a oferta do serviço para anunciantes em potencial é o pouco conhecimento sobre os usuários, algo básico para que uma marca pague para se promover.

O aplicativo já conta com anunciantes de peso, como por exemplo GE, Verizon, Coca-Cola e McDonald’s. 90% dos seus anunciantes voltariam a investir no Snapchat. Mas para seguir com eles, os usuários perderão uma opção de customização. Quem comprou pelos filtros vai ficar com eles, mesmo com o fechamento da Lenses Store, em 8 de janeiro.

Via Business Insider