Linux

A NetMarketShare informa que o Linux alcançou uma cota de 4.83% no mercado PC no mês de setembro de 2017. O mais impressionante disso tudo é que, em 2016, essa porcentagem mal passava de 1%.

Desde julho do ano passado, o Linux (em suas diversas variantes) segue crescendo de forma sustentável. Alcançou os 2% de mercado em agosto de 2016, para depois superar pela primeira vez na sua história os 3% de cota.

O Linux registrou em setembro de 2017 o seu maior aumento de participação do mercado em todos os tempos, com 3,37%. E agora, em outubro, o salto foi impressionante: mais de 1% em um mês, com 4.83%.

Fato é que o Linux vai passar em breve o macOS se mantiver esse ritmo (no máximo até o final do ano). Tudo bem, não ameaça a onipresença do Windows (88,88%), mas ultrapassar a Apple no mercado de PC é uma vitória.

 

 

Porém, devagar com a empolgação.

Os números dos times de analistas são apenas um indicador, sem confiabilidade para falar de dados totais. O aumento tão apressado do Linux poderia ser justificado pela maior participação do Chrome OS no mercado, mas ainda assim fica difícil de ser explicado a olho nu.

O que mudou no método de medição da NetMarketShare?

Olhando para o seu principal concorrente, a StatCounter, em setembro de 2017, o Windows ficou com 83.28%, seguido pelo macOS (12.15%) e pelo Linux (1.66%). Não dá para dizer que esses números são mais alinhados à realidade, mas se somamos as migalhas dos tais “sistemas desconhecidos” (2.06%) e do Chrome OS (0.84%) ao Linux, alcançamos 4.56% de cota.

Moral da história: tudo é possível. 2017 pode mesmo ser o ano do Linux nos desktops, apesar do presidente da Linux Foundation utilizar um Mac.

 

Via NetMarketShare