Light Phone

 

O Light Phone passou por uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter em 2015, e agora chega ao mercado. Mas… quem está disposto a pagar US$ 150 por um celular ultra-limitado?

O celular minimalista até tem um design simpático, mas ele se resume a realizar e receber chamadas, além de memorizar até nove números de telefone.

Sua autonomia de bateria agora é de apenas 3 dias em standby (antes eram 20 dias), e o projeto demorou demais para se concretizar, com as primeiras unidades do Light Phone só chegando agora aos seus primeiros investidores. Alguns deles até reclamam que o produto sequer funciona…

E tudo isso… por US$ 150!

É um valor irreal. Surreal.

 

 

Apenas como perspectiva, o AIEK C6 também é minimalista, mas possui uma tela mais útil, exibindo ais informações, e custando apenas 9 euros.

É um celular para “brincar”, para as crianças ou para atuar como segundo telefone para situações específicas. Ou seja, nada justifica o preço de US$ 150 cobrados pelo Light Phone.

Por esse valor, é possível comprar smartphones bem mais potentes. E nem mesmo a autonomia de bateria de 3 dias em standby (algo ridículo para suas características) justificam o investimento.

Moral da história: não é porque um produto nasceu de uma campanha de crowdfunding bem sucedida que ele é uma boa opção para o consumidor final.