LibreOffice vs OpenOffice

O OpenOffice pode estar com os dias contados. O motivo seria a perda de interesse dos desenvolvedores, que estão migrando para o LibreOffice, suíte que já é a grande referência entre os pacotes de escritório de código aberto, se apresentando como alternativa livre e gratuita ao Microsoft Office.

 

O início e o fim do OpenOffice

O LibreOffice foi lançado no final de 2010 como um fork do OpenOffice.org. Foi criado por um grupo de desenvolvedores independentes que não acreditavam que a Oracle manteria o pacote verdadeiramente livre, depois da absorção da Sun e após o cancelamento de projetos como o Solaris.

Foi algo inevitável e acertado. A comunidade não podia permitir que o pacote de escritório livre ficasse nas mãos da Oracle e do imprevisível Larry Ellison, que tinha outros interesses como o software.

A The Document Foundation (responsável pelo LibreOffice) já havia tentado a cessão da marca OpenOffice.org. Como esperado, a resposta foi negativa, e assim nasceu o LibreOffice como projeto independente. Depois disso, a Oracle doou o projeto para a Apache Foundation, confirmando o seu interesse pela suíte.

O resultado? Boa parte dos desenvolvedores do OpenOffice passaram para o LibreOffice.

Cinco anos depois, o número de desenvolvedores que contribuíram para o projeto passava de 1.000, transformando o LibreOffce em um dos maiores projetos colaborativos.

A sangria de desenvolvedores no OpenOffice continuou, e o resultado é o de hoje. A Apache Foundation não consegue manter o software adequado na sua segurança. Parches e atualizações que não chegam ou chegam muito tarde por falta de colaboradores.

O OpenOffice deve morrer. A ideia agora é que os desenvolvedores unam forças em torno do LibreOffice para potenciar o mesmo como grande referência nas suítes de escritório de código aberto e alternativa livre e gratuita ao Microsoft Office.

Via Apache Foundation