2015-08-21 12.14.35

A LG segue trabalhando no desenvolvimento de suas TVs e tecnologias de tela. Bem sabemos da qualidade desses itens pelos produtos finais que chegaram ao mercado, e como participamos recentemente de dois eventos da empresa, aproveitamos esse post para compilar o que foi apresentado nesses dois eventos.

Para começar, a aposta da LG na parte de hardware está no conceito de ‘tela orgânica’, onde cada pixel emite luz própria e se apaga completamente nas cenas escuras. Com isso, a tela Ultra HD 4K oferece um tom de preto puro, com um excelente contraste e cores perfeitas, oferecendo uma experiência de ver TV mais enriquecedora. Além disso, são consideradas as telas mais finas do mercado, com apenas 5.9 mm de espessura. Conseguem ser mais finas que muitos smartphones disponíveis no mercado.

A LG não se limitou apenas a desenvolver novas soluções de tecnologia, mas comprovar que elas são mesmo mais eficientes. Pesquisas realizadas na Escola Politécnica da USP (SP) confirmam o desempenho superior de suas telas, onde a tecnologia orgânica leva vantagem em seis dos sete parâmetros analisados.

As novas telas contam com uma película especial que reduz o reflexo da luz ambiente, e podem ser penduradas na parede, oferecendo um design ainda mais minimalista. Sua tecnologia de som desenvolvida em parceria com a Harman/Kardon garante um som de alta qualidade, e aumentando a imersão do telespectador.

LG_Tela_webOs

Mas um hardware tão eficiente como esse precisa de um software competente para garantir que a experiência de uso será a mais agradável possível. Nesse aspecto, a LG aposta no webOS, que está na sua versão 2.0 para as Smart TVs. As novidades foram apresentadas no Fórum webOS, que também discutiu o futuro da TV no mundo do entretenimento, e os avanços tecnológicos feitos por diferentes empresas dentro do segmento.

Executivos da Netflix, Globosat, Pontomobi e LG participaram do Forum webOS, e destacaram que, mesmo com a internet e todas as novidades oferecidas (incluindo diferentes propostas de consumo de conteúdo televisivo, através de computadores, tablets e smartphones), no final das contas, as pessoas querem seguir consumindo o seu conteúdo no conforto do seu sofá, assistindo a sua programação na TV da sala ou do quarto.

Pensando nisso, a LG já procura se adaptar ao futuro da TV que está nascendo, fechando parcerias com esses produtores de conteúdo, que começam a desembarcar no webOS. Algumas dessas plataformas já se fazem presentes para o grande público, e outras ainda em formato de testes. Mas todas com um objetivo comum: se aliar ao novo movimento de consumo de conteúdo.

O objetivo não é ir contra a tecnologia, mantendo conceitos arcaicos de consumo de conteúdos pelo formato tradicional. No final das contas, a TV tradicional e outros formatos de mídia precisam trabalhar em conjunto com os novos formatos e soluções oferecidas. E as Smart TVs aparecem como plataforma para que essas empresas se façam presentes nesse novo momento.

Um dos grandes trunfos do webOS é a sua simplicidade. É um sistema minimalista, intuitivo, com recursos eficientes e de fácil acesso para a maioria dos consumidores. A curva de aprendizado tende a ser baixa, e o sistema aparentemente tem um baixo consumo de recursos de hardware, o que resulta em um bom desempenho geral.

Enfim, a LG segue investindo pesado no objetivo de oferecer não apenas a melhor qualidade de imagem, mas também a melhor experiência no consumo televisivo. São duas missões complexas, mas pelos passos dados, os primeiros resultados aparentam ser muito promissores.

Veremos o que o futuro nos reserva.