Parece que a guerra de telas entre os modelos de plasma e LED tem os seus dias contados. Bom, pelo menos é isso que a LG quer com suas novas telas PLED, uma novidade apresentada na CES, cujo nome é um jogo de palavras entre Plasma e LED. Com o nome de Pixel Light Emiting Display (PLED), estas novas telas escondem um novo sistema de iluminação, que se aplica pixel a pixel, no lugar de uma retro-iluminação da tela por completo, como ocorre nas telas atuais, iluminando 6,2 milhões de pixels de forma independente, resultando assim em tons negros mais puros, uma velocidade superior ao LED (600 MHz) e cores mais reais (95% da relação RGB).

O conceito é muito parecido com aquele aplicado pelas telas Crystal LED, que a Sony apresentou durante a CES 2012, como resposta aos modelos OLED da concorrência. Além disso, o consumo dessa nova tela da LG é muito menor que a TV de plasma (segundo indica a própria LG).

O modelo PM9700 possui um processador Triple XD-Engine FHD 3D, capaz de realizar conversões de imagens 2D para 3D, reproduzir conteúdos com a qualidade de Cinema 24P e executar arquivos MKV, DivXHD, MP3 e JPG a partir de dispositivos USB. A TV conta ainda com duas portas USB, duas portas HDMI 1.4, dois alto-falantes de 10W, entre outros recursos.

Como não podia ser diferente, as funções Smart TV estão presentes, incluindo ainda um navegador compatível com o padrão Flash 10.1, além de acessórios como óculos polarizados para o 3D e o novo controle remoto Magic Control, que permite o controle das funções do aparelho, no melhor estilo Wii.

Disponível em tamanhos de 50 e 60 polegadas, os novos televisores chegarão ao mercado internacional em breve, com o preço de 1.699 e 2.199 euros, respectivamente. E, antes que você pergunte, a LG bão vai substituir nem as telas de plasma, nem as de LCD. Essa nova linha entra em um escalão intermediário de produtos.

Via LG