surface-pro-4

A Microsoft pediu para a Lenovo vender o seu hardware Surface, e recebeu um sonoro “não” como resposta. “Não vejo nenhuma razão pela qual eu deveria vender um produto da concorrência”, respondeu Gianfranco Lanci, CEO da Lenovo, para os executivos de Redmond.

Já é sabido que a Dell venderá o Surface Pro e seus acessórios aos seus clientes corporativos nos 28 mercados onde os tablets da Microsoft está disponível, através do programa “Iniciativa Empresarial Surface”, impulsionada pela Microsoft. A Dell venderá o hardware, suporte, serviços, garantia ProSupport e serviços de distribuição. HP, Accenture e Avanade farão o mesmo.

Já a Lenovo decidiu não participar da iniciativa por considerar o Surface um competidor. Lanci vai além, explicando que a Lenovo vê a Microsoft como “um parceiro em certas coisas, e um concorrente em outros cenários”, o que o obriga a ser “um pouco cuidadoso” em algumas decisões.

No passado, a Microsoft já recebeu duras críticas da Acer com o lançamento do Surface RT, que foi um grande fracasso. Porém, eles se recuperaram com o Surface Pro 3, e com os novos Surface Pro 4 e Surface Book.

Cada um tem a sua opinião sobre tudo. As críticas dos parceiros da Microsoft diante da concorrência que o Surface cria é respondida com o desejo de Redmond em impulsionar o Windows 10 e uma categoria de produto tão atraente como a dos dispositivos 2 em 1. Não só para eles, mas para os seus sócios também. E para derrotar a supremacia que até então ostentava os MacBooks na linha de notebooks premium.

Sem falar que os sócios da Microsoft também contam com produtos muito bons (Lenovo Yoga, HP Spectre, Dell XPS, Toshiba Satellite, entre outros).