Lenovo-gafas-inteligentes

A Lenovo também quer apostar nos wearables e na internet das coisas. Para isso, eles apresentaram uma iniciativa chamada NBD, onde buscarão a colaboração de desenvolvedores e outras empresas de hardware para produzir tecnologia relacionada aos dois conceitos.

O conceito de óculos inteligente apresentado por eles é muito similar ao Google Glass, mas eles acreditam que a múltipla colaboração entre as empresas pode ser o diferencial. Afinal de contas, uma única empresa não pode fazer tudo.

A iniciativa NBD conta também com um router que serviria como ponte para as comunicações entre os dispositivos, um purificador de ar e os óculos inteligentes. A Lenovo já trabalha ao lado de empresas como Luftmed, Vuzix e outras empresas chinesas.

 

Os óculos inteligentes da Lenovo

lenovo-smartglasses

O design é idêntico ao do Google Glass, mas é possível ver uma espécie de suporte para o pescoço do usuário. Também conta com uma câmera frontal, com um cristal translúcido. O M100, como foi chamado pela Lenovo, utiliza o Android 4.0.4 e terá um processador dual-core de 1 GHz. Não há maiores detalhes técnicos sobre o produto no momento.

No mês de outubro, a Lenovo vai revelar as especificações completas e detalhes de funcionamento dos óculos inteligentes. Por enquanto, sabemos que o produto será desenvolvido no mesmo esquema que é adotado pela Google, através de um pequeno grupo de pessoas que os testaram e alguns desenvolvedores. Seu custo será igualmente elevado: US$ 1.300.

O futuro do M100 deve ter o mesmo destino que o do Google Glass: vai depender do fato da Lenovo encontrar os parceiros certos para o seu desenvolvimento, e o nicho adequado para ser comercializado. Talvez esses óculos inteligentes não sejam destinados ao consumidor final, mas sim para usuários empresarias.

Via NBD