lenovo-notebook-teaser

O CEO da Lenovo, Yang Yuanqing, anunciou importantes mudanças na empresa, com o objetivo que ela se torne mais rentável.

Para isso, 3.200 funcionários serão dispensados, e os negócios de computadores e smartphones receberão modificações importantes. A Lenovo quer revitalizar as vendas de PCs, mercado que segue em declive explícito, além de reestruturar a divisão móvel para um maior crescimento. Até porque a Motorola não trabalhava de forma totalmente independente da Lenovo.

As contas do segundo trimestre registraram uma queda nos lucros de 51%, o que é grave para uma empresa que hoje é líder entre os fabricantes de computadores. Já as vendas aumentaram em 3% em relação ao mesmo período de 2014.

Nos computadores, a queda foi de 7% (13.5 milhões de unidades venidas), mas com um crescimento de cota de mercado de 1.3% (20.6% no setor). O objetivo da Lenovo é alcançar em médio prazo os 30% do mercado, consolidando assim o negócio mais importante da empresa, responsável por US$ 7.3 bilhões dos US$ 10.7 bilhões nas vendas do último trimestre.

Vale a pena dar destaque para os tablets. A Lenovo vendeu 2.5 milhões de unidades, um aumento de 3.8%, o que posiciona a empresa como a terceira maior vendedora global da categoria, com 5.8% do mercado.

No caso dos smartphones, a primeira coisa que a Lenovo pretende fazer é reduzir o catálogo de produtos disponíveis, além de decidir em conjunto com a Motorola sobre o que fazer com os novos produtos. No último trimestre, as duas empresas colocaram 16.2 milhões de smartphones no mercado, um aumento de 2.3% em relação ao ano passado.

Desses, 5.9 milhões são da Motorola, registrando uma forte queda de 31%, e com perspectivas de lucros para apenas daqui a dois trimestres. Mas para a Lenovo, os números não são tão importantes. Eles consideram que o design, o desenvolvimento e fabricação de smartphones precisa passar exclusivamente pela Motorola, visando o mercado global, e disputando diretamente com Apple e Samsung.

Via Lenovo