650_1000_1-1

A Lenovo é o segundo maior fabricante de telefonia na China, e o quinto maior do planeta (atrás da Samsung, Apple, Huawei e LG). Porém, há muitos mercados a serem conquistados pelos asiáticos, além daqueles onde a Motorola já está presente. Porém, essas contas serão mais claras e consistentes a partir de 2015. Por enquanto, a Lenovo quer “ficar onde está”.

A ideia deles é crescer e roubar terreno do seus adversários diretos. Sua proposta é parecida com a dos anos anteriores: grande variedade de produtos, especialmente no mercado de entrada. Ao longo de 2014, a Lenovo perpara uma artilharia pesada, com a promessa de lançar um total de 60 telefones diferentes, onde a metade deles contará com conectividade 4G/LTE.

Obviamente, já passamos da metade do ano, e boa parte desses dispositivos já foram revelados, como o Lenovo K920 (top de linha, com tela QHD), ou o Lenovo A805e (o primeiro a contar com os chips 64 bits da Qualcomm – Snapdragon 410).

As estimativas de vendas da Lenovo são expressivas, com previsão de 80 milhões de unidades vendidas até o final de 2014 (60 milhões vendidos na China). Seria praticamente dobrar os resultados obtidos pela empresa em 2013.

Sem Motorola

É importante informar que tudo o que foi dito até agora não leva em conta a Lenovo ser a nova proprietária da Motorola. A compra ainda está sendo revisada por alguns órgãos reguladores, e a própria Lenovo deixa bem claro que quer diferenciar as duas empresas em todos os níveis. Hoje, a Motorola Mobility conta com mais de 2.000 funcionários, o que deve garantir essa certa independência desejada pelos asiáticos.

Via Digitimes