Depois de sua declaração de bancarrota e o fim da produção da linha de câmeras fotográficas, as principais atividades da Kodak são a venda de patentes e a interposição de demandas: dois espinhosos passatempos que em ocasiões terminam em situações como a de hoje.

Não satisfeita com as pelejas anteriores, o antigo fabricante de câmeras e filmes fotográficos decidiu levar a Apple nos tribunais, basicamente por “meter-se onde não foi chamada”. Para ser mais claro, a Kodak está se desfazendo de sua biblioteca de patentes sobre tecnologia de imagem, vendendo em forma de pacotes de patentes. Porém, a fabricante alega que a Apple está disposta a bloquear a venda de dez patentes originárias do começo da década de 1990, quando as duas empresas estavam unidas por uma amistosa relação, que no seu auge, resultou no lançamento das câmeras QuickTake.

A Apple, que declara que as patentes em questão são suas, não está sozinha, dado que uma empresa chamada FlashPoint Technology também estaria dificultando qualquer operação de venda, baseando-se em um antigo acordo com a empresa de Cupertino, que lhe conferia a propriedade compartilhada das patentes.

Em outras palavras, que todos afirmam ser donos de uma forma ou de outra destas citadas patentes, entre as quais se encontram uma que descreve uma tecnologia que facilita aos proprietários de uma câmera digital exibir suas fotos na tela LCD do dispositivo. E, nesse caso, não é de se estranhar que nenhuma das empresas queira dar o braço a torcer.

Via Reuters