Kickass Torrents

O Kickass Torrents fechou suas portas.

Um dos maiores buscadores de conteúdo para redes P2P fechou depois da prisão do seu criador, o ucraniano Artem Vaulin. A prisão aconteceu na Polônia, mas foi os Estados Unidos que pediu a sua extradição, acusado de violação de direitos autorais, lavagem de dinheiro e conspiração criminal.

Tudo indica ser um caso similar ao The Pirate Bay. No começo do mês de julho, o Kickass Torrents eliminou um milhão de torrents depois de uma demanda acionada pela DMCA (Digital Millennium Copyright Act) dos Estados Unidos. De acordo com o Departamento de Justiça norte-americano, Vaulin é acusado de distribuir ilegalmente material protegido por copyright, centenas de milhões de cópias de música, filmes ou jogos, em um valor superior a US$ 1 bilhão.

O Kickass Torrents (ou KAT) era um dos sites mais visitados do planeta, com mais de 50 milhões de usuários ativos, obtendo assim ganhos com publicidade entre US$ 12 milhões e US$ 22 milhões anuais. O KAT utilizou vários domínios e servidores alojados em diferentes partes do planeta.

Por outro lado, é comum ver portais internacionais com um número similar ou até superior de links que seguem ativos. Sem falar que não se pode colocar barreiras nesse sentido. Nessa semana, tomamos conhecimento da falha do Tribunal Superior de Paris, que determinou que Google e Microsoft não precisavam implementar filtros automáticos para censurar a busca de torrents.

A solução da pirataria não é a repressão. Passa por um maior conteúdo via streaming, maior concorrência, mais plataformas digitais de vendas de software e, de um modo geral, oferecer ao usuário alternativas legais acessíveis.

Via Justice.gov