androidsilver

No mês passado, o estudo da Kantar Worldpanel ComTech mostrava um crescimento da Apple na Europa, mas uma queda da mesma nos EUA. Agora, com os dados do último trimestre em mãos, destacamos a queda do Android na Europa, e o crescimento do mesmo nos EUA.

 

O Android em queda na Europa

De acordo com o estudo, nos principais mercados europeus, a cota de mercado Android caiu, de forma mais notória na Alemanha, França e Grã-Bretanha (-8.7%, -5,4% e -3,8%, respectivamente, em relação ao mesmo período em 2014). Também se destaca a maturidade do mercado europeu, levando em conta o número de dispositivos vendidos para usuários que estavam comprando um smartphone pela primeira vez, que é de 25% (4% a menos que no mesmo período de 2014).

Essa maturidade está relacionada ao aumento de usuários que passaram do Android para o iOS (27% na Europa, contra 7% nos EUA).

 

Apple e Samsung seguem dominando nos Estados Unidos

samsung-apple-smartphones

O duopólio continua. Apple e Samsung concentraram 64% das vendas nos Estados Unidos no último trimestre, ou seja, as duas venderam nove de cada dez smartphones top de linha no período, com a LG aparecendo timidamente no terceiro lugar do ranking do país.

Nos EUA, o Android subiu 1.7% em realçao ao ano passado, ficando com 65.6%. O iOS teve leve queda, ficando com 30.1%, e o Windows Phone recebeu um tímido aumento, com 3.8% de mercado.

 

A batalha asiática

Na China, a batalha entre os fabricantes segue intensa. Em junho, a Xiaomi destronou a Huawei, se aproveitando do fato que a taxa de renovação de smartphones na área urbana do país é maior (12 meses) do que nas demais regiões (20 meses).

Porém, a Huawei experimenta um crescimento nada desprezável. 51% dos consumidores com planos de trocar de smartphone nos próximos três meses planejam adquirir um smartphone da empresa (no caso da Xiaomi, essa porcentagem cai para 25%).

 

O que está por vir

A Kantar acredita que as coisas vão mudar para a Samsung por conta dos seus últimos lançamentos, apesar dos seus números não serem muito positivos nos últimos três meses. Como estamos próximos dos lançamentos de novos iPhones da Apple, e que 32% das vendas do iPhone 5s aconteceram depois do lançamento dos modelos iPhone 6 e 6 Plus, eles esperam que algo parecido aconteça esse ano, e que muitos usuários apostem na queda de preço dos modelos atuais.