tetris

O game Tetris completou recentemente 30 anos de vida, e segue como um dos ícones da cultura pop mais reconhecíveis do mundo. Mas o jogo puzzle ainda pode nos oferecer algumas surpresas e utilidades, muito além dos videogames.

A notícia de hoje é uma prova disso. Jogar uma partida do jogo criado por Alexey Pajtinov pode ajudar a bloquear lembranças traumáticas e reduzir o risco de transtornos do estresse pós traumático. Quem informa é o NewScientist, através de dados do estudo do Conselho de Investigação Médica de Cognição e Ciências do Cérebro de Cambridge (Reino Unido).

Eles submeteram 52 voluntários à visualização de vídeos angustiantes, e no disa seguinte, separou essas pessoas em dois grupos: o primeiro simplesmente ficou sentada, esperando em silêncio, enquanto que o segundo grupo ficou com imagens fixas para reativar as lembranças do vídeo. Depois disso, esse segundo grupo jogou 12 minutos de Tetris.

Uma semana depois, as pessoas que jogaram o game tiveram 51% a menos de lembranças intrusivas relacionadas com o vídeo, além de uma melhor pontuação no teste utilizado para detectar o transtorno por estresse pós traumático.

Jogos como Tetris, Candy Crush e outros exigem um processamento visual exigente, o que favoreceria ao ‘bloqueio cognitivo, diminuindo a resistência do componente visual de uma memória traumatizada enquanto a mente está maleável’, o que acontece de um modo geral um pouco depois do trauma ter passado. O sujeito se lembra de tudo, mas as imagens mais vívidas se ativariam em menor grau.

Obviamente, o experimento não deixa de ser um teste de laboratório. Mas não é a primeira vez que os videogames são mencionados como uma possível terapia.

Agora, seja um bom menino e mostre este post para a sua mãe. De nada.

Via NewScientist